Desafios enfrentados por empreendedores de cidades de Nível II e III

Mais de um bilhão de indianos vivem fora das cidades metropolitanas. Esse público, que compreende 70% do tamanho total do mercado no país, vive em cidades Tier-II, Tier-III e além. No entanto, para que a Índia se torne uma superpotência econômica e proporcione uma distribuição mais equilibrada de empregos e riquezas, é fundamental apoiar os empreendedores dessas áreas. A partir de agora, apesar da demanda nessas regiões, os fundadores de startups de cidades e vilas de nível II e III invariavelmente dirigem-se aos metrôs onde um ambiente propício para startups ou os recursos necessários estão disponíveis. Outros que tentam resolutamente se estabelecer em regiões não metropolitanas e escalar seus negócios enfrentam uma infinidade de desafios. Vamos dar uma olhada em alguns dos principais desafios enfrentados por esses empreendedores e na solução que pode garantir a disseminação uniforme de histórias de sucesso de startups em cidades metropolitanas e de nível II e III:

Desafios iniciais

Ideação ao planejamento de negócios – O primeiro obstáculo que a maioria dos empreendedores iniciantes acha difícil de superar é a falta de conhecimento e orientação para converter uma ideia em um negócio. A pessoa pode ter identificado um problema e uma ideia em potencial que poderia resolvê-lo. No entanto, existem etapas como pesquisar e traçar estratégias para transformar a ideia em uma solução prática para o público-alvo. Construir protótipos, criar personas de clientes, avaliar se a escala do problema e escalabilidade da solução é viável do ponto de vista do negócio e outros aspectos exigem orientação constante. Nesse cenário, inúmeros empreendedores promissores não conseguem avançar porque ninguém apoiou suas ideias.

Controle de incorporação – apesar de todos os avanços e ações favoráveis ​​às startups por parte das autoridades, ainda há um pouco de burocracia e labirinto de incorporação associado ao lançamento de um novo negócio. Aprovações, localização, infraestrutura, configuração inicial de recursos humanos e comercialização dos produtos, etc., são áreas que requerem orientação e até mesmo a ajuda de especialistas. Ainda existe uma grande lacuna de cobertura nesses segmentos.

Escalar desafios

Falta de talento e tecnologia certos – Embora a implantação do 5G tenha começado nas cidades metropolitanas, grandes áreas rurais da Índia ainda estão lutando para obter uma cobertura de dados 4G decente e sustentada. O talento de Tecnologia da Informação está predominantemente concentrado em capitais iniciantes, como Bangalore, Delhi/NCR e Mumbai, etc. Assim, os empresários têm que enfrentar o enorme desafio da falta de talento, seja capacitando os recursos locais em tecnologias ou pagando salários mais altos por recursos de qualidade das cidades maiores para se juntar a eles. Nos últimos anos, o estabelecimento de IITs em algumas cidades menores criou a oportunidade de preparar a próxima geração de força de trabalho rural para as futuras startups voltadas para a tecnologia. No entanto, ainda há muito trabalho a ser feito. Além disso, equipamentos como máquinas e peças sobressalentes são difíceis de adquirir localmente. Isso torna a infraestrutura mais cara e propensa a longos períodos de quebra, aumentando ainda mais os custos de operação dos negócios.

Conectividade e logística – Atualmente, existem problemas logísticos significativos enfrentados pelas startups nas cidades Tier-II e III. O setor manufatureiro enfrenta desafios como custo mais alto e falta de acesso a veículos modernos, instalações de armazenamento, energia ininterrupta e transporte multimodal. Enquanto as grandes empresas podem fazer investimentos pesados ​​para criar suas próprias instalações de logística, as startups precisam de infraestrutura acessível, compartilhada ou sob demanda que está faltando nas cidades menores.

desafios de sustentabilidade

Questões de financiamento – Os sonhos de negócios são invariavelmente alimentados por dinheiro e, no nível de inicialização, os empreendedores precisam queimar dinheiro até que seu motor de crescimento comece a funcionar. Com quase nenhuma empresa de capital de risco nas cidades de nível II e III, as startups localizadas lá acham difícil seguir em frente, apesar da escassez de ideias e inovações inovadoras. Muitos empreendedores acabam vendendo seus IPs para grandes empresas nas metrópoles e desistem de sua visão mesmo sabendo que poderiam fazê-lo com o suporte certo.

Falta de informação sobre iniciativas e oportunidades de startups—Nesta era de digitalização,

A falta de informação surge como um obstáculo surpreendente, mas assustador, para empreendedores fora das metrópoles. O governo da Índia, bem como vários governos estaduais, lançaram uma série de esquemas sob iniciativas como Startup India e Aatmanirbhar Bharat etc. No entanto, informações detalhadas e assistência sobre como colher os benefícios e apoio dessas iniciativas não estão disponíveis para a maioria dos empresários rurais. Instalações dedicadas, como parques de TI e centros de incubação governamentais, geralmente estão localizadas dentro ou na periferia das cidades metropolitanas, o que faz com que os empreendedores de pequenas cidades tenham dificuldade para se beneficiar delas. Por exemplo, Hubbali é uma cidade com um potencial incrível, mas o tamanho menor da cidade priva os empreendedores locais das oportunidades que os fundadores de startups em Bangalore obtêm.

Barreira do idioma – Outra grande barreira específica da Índia é a diversidade de idiomas e práticas sociais. É provável que uma startup estabelecida em Karnataka tenha dificuldades em atrair o público de Maharashtra, Punjab ou nordeste da Índia devido à falta de capacidade de se comunicar nos idiomas dessas regiões. Da mesma forma, talentos contratados de outras regiões podem achar difícil trabalhar com trabalhadores locais ou clientes em uma região diferente.

A solução

Os desafios acima podem ser superados com uma abordagem holística e pragmática. A necessidade do momento é criar incubadoras de startups que possam fornecer infraestrutura, tecnologia, talento, financiamento e know-how de negócios de ponta a ponta para a nova onda de empreendedores em toda a Índia. Atuando como clusters com espaços de coworking para atender às necessidades de inicialização e fornecendo infraestrutura de TI paga conforme o uso, esses centros de incubação podem ajudar empreendedores talentosos a lançar seus negócios. Uma abordagem colaborativa em que diferentes partes interessadas trocam conhecimentos e serviços, inovam e pesquisam nos centros de inovação integrados e atraem financiamento de VCs pode fazer maravilhas. Além disso, essas incubadoras também atuam como centros de informações para os fundadores de startups explorarem vários esquemas governamentais e obterem apoio em seus esforços para se beneficiar deles. Líderes empresariais, especialistas jurídicos, CAs, provedores de logística, especialistas em marketing e outras partes interessadas do ecossistema podem se juntar às incubadoras para criar um sistema de suporte de ponta a ponta para os empreendedores de Nível II e Nível III.

Alguns visionários já começaram nessa direção que criaram incubadoras avançadas de grande escala nas cidades e mais instalações desse tipo serão estabelecidas nos próximos tempos. As startups que surgem dessas incubadoras beneficiariam a população local por meio de estratégias de emprego e desenvolvimento de habilidades, além de atender ao público regional. Com o passar do tempo, a escala e o número dessas startups crescerão e criarão maiores economias de escala para a próxima onda de empreendedores.



Linkedin


Isenção de responsabilidade

As opiniões expressas acima são do próprio autor.



FIM DO ARTIGO



.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *