Techno da China conquistou o mercado africano, agora está olhando para outros mercados emergentes

As marcas chinesas de smartphones têm sido participantes importantes, até mesmo dominantes, no cenário global de smartphones (com a notável exceção da América do Norte) por meia década. Mas, embora qualquer pessoa que acompanhe remotamente a tecnologia móvel já tenha ouvido falar da Huawei e da Xiaomi, há outra marca chinesa, praticamente desconhecida no Ocidente e até um nome obscuro em seu país de origem, que tem o maior controle sobre o mercado pretendido.

Essa seria a Tecno, com sede em Shenzhen, que vende smartphones na África desde 2006 e cuja participação de mercado de quase 20% no continente a torna a principal marca de telefones da África. De fato, a Tecno foi recentemente apontada como a sexta marca mais admirada na África (independentemente da indústria) pela publicação African Business.

Embora a Tecno ainda esteja investindo muitos recursos e atenção para manter sua liderança na África, nos últimos anos a marca se aventurou em outros mercados emergentes, como América Latina, Sudeste Asiático, Índia e Oriente Médio. Hoje, a Tecno vende telefones em mais de 70 mercados.

Não é difícil ver o padrão: a Tecno evitou mercados desenvolvidos e tradicionalmente ricos, como América do Norte, Europa e Leste Asiático, em favor de mercados em desenvolvimento.

O gerente geral da empresa, Jack Guo, admitiu essencialmente que a mudança era para evitar uma grande concorrência e conquistar mercados subdesenvolvidos.

“Quando nos aventuramos no negócio de smartphones, visitamos mais de 90 países e analisamos o mercado”, afirma Guo, que está na Tecno desde 2013. “A maioria das marcas estava focada na China e na Europa. Mas havia toda uma região com grande população e baixa taxa de penetração de telefonia. Decidimos focar nisso.”

Vender na África e em outros mercados em desenvolvimento significava, é claro, vender telefones econômicos. E foi essa a impressão que tive quando testei meu primeiro aparelho Tecno há dois anos. Achei que o telefone era bom para um aparelho básico, mas era claramente um telefone econômico que não pretendia impor nenhum padrão do setor. Mal sabia eu que nos bastidores, a Tecno já vinha trabalhando para mirar mais alto.

Esta semana, a empresa lançou sua primeira série de telefones emblemáticos, o Phantom X2 e o X2 Pro, em Dubai. Com o modelo top custando cerca de US $ 900, é o telefone mais caro da Tecno várias vezes.

A série Phantom X2, de fato, teve um lançamento luxuoso em Dubai na semana passada, e isso representa a entrada da Tecno em mercados mais ricos. Agora, não estamos falando dos EUA ou do Japão, mas sim de países como Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. O Oriente Médio representa um mercado atraente para a Tecno, já que os consumidores dessa região têm mais poder aquisitivo do que, digamos, os consumidores da Nigéria ou das Filipinas, mas também é uma região livre de burocracia e escrutínio geopolítico que acompanham a entrada em mercados ocidentais, como como os EUA ou o Reino Unido. A região também tem muito potencial de crescimento, já que um relatório recente da empresa de pesquisa Canalyst estimou o crescimento de smartphones de dois dígitos no Oriente Médio em 2023.

O vice-gerente geral da Tecno, Laury Bai, diz que o recurso de destaque do Phantom X2 Pro – essa lente retrátil para retratos – está em desenvolvimento há dois anos. Um resultado da empresa despejar uma parte de seus lucros em P&D ao longo dos anos. A empresa se recusou a informar o valor exato, no entanto.

A tecnologia de câmera retrátil, que vê a lente da câmera sair fisicamente do corpo do telefone. Esse corpo estendido dá à ótica mais espaço para capturar e processar informações da imagem, além de produzir fotos com uma separação mais natural entre o assunto e o fundo.

Eu tenho testado o telefone e a lente de retrato realmente funciona. Isso, juntamente com o chip principal e a decisão da Tecno de equipar o telefone com o sensor GN5 da Samsung, dá ao Phantom X2 Pro o hardware mais capaz de qualquer telefone Tecno até agora. Certamente parece e se sente premium.

Mas, como qualquer guru de marketing lhe dirá, fazer um bom produto é apenas metade do trabalho, você ainda precisa vendê-lo aos consumidores, convencê-los de que o produto e a marca são reais. O evento de lançamento em Dubai ajudou. O mesmo aconteceu com as parcerias com nomes conhecidos como Google, Intel e Microsoft. Representantes regionais de cada marca estiveram no palco durante o evento. Já se foram os dias em que os telefones Tecno eram lançados com software suspeito. Desta vez, o Phantom X2 Pro tem a bênção total do Google e garantia de três anos de suporte de software.

O evento de lançamento em Dubai também viu a apresentação do segundo laptop da Tecno. Como praticamente todas as outras marcas de telefones, a Tecno entende que a construção de um ecossistema conectado pode trazer mais crescimento e, para esse fim, a empresa lançou fones de ouvido sem fio, roteadores, smartwatches e webcams nos últimos dois anos. Seus padrões de qualidade variaram, mas uma coisa permaneceu consistente – eles eram muito acessíveis.

A Tecno conta com a série Phantom X2 e seu diversificado portfólio de produtos para conquistar consumidores e mercados. Mas enquanto a Tecno continuará a construir telefones emblemáticos daqui para frente, Guo disse que o mercado emergente continuará sendo a principal prioridade da empresa. Os telefones básicos acessíveis que se mostraram populares da Nigéria à Etiópia e à Indonésia ainda serão o pão com manteiga da empresa no futuro próximo.

.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *